Eu Li [11] -Desafio Literário 2011.03.02

 

Dom Quixote

Miguel de Cervantes
Editora 34, 760 + 704 páginas

 

“A liberdade, Sancho, não é um pedaço de pão.”

 

Li Dom Quixote ainda no colégio mas li em edição condensada. O Desafio Literário me despertou vontade de ler a obra completa.  Uma Obra extensa diga-se de passagem, extensa  e de linguagem rebuscada. Foi boa a iniciativa, mas achei a leitura cansativa e não sei se aproveitei a história como deveria. Aliás ao fim de 3 livros não sei sei se o gênero épico é realmente meu preferido.

A Obra é dividida em dois livros e como tradução completa, há uma extensa apresentação sobre a própria produção do livro descreve dês das taxas pagas para impressão, passando pelas dedicatória, prólogo  e afins –  todos escritos pelo próprio autor. Aliás, nesta parte pude conhecer um lado ácido de  Cervantes com seus contemporâneos  e pude entender a ideia critica com/para  a literatura do seu tempo. Há , de certo modo, um desdem com todo o mito de cavalheirismo, o que tornou – na minha concepção- o livro muito mais original e muito, muito, a frente do seu tempo.

A história mostra um ingênuo senhor rural cujo passatempo favorito era a leitura de livros de cavalaria. Na sua obsessão, acreditava literalmente nas aventuras descritas e decide tornar-se um cavaleiro. Suas viagens acontecem praticamente sobre a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria; pessoas que encontrava nas estradas pareciam-lhe como cavaleiros em armas , damas em apuros gigantes e monstros. Combatendo as injustiças o personagem enfrenta situações penosas (e ridículas) , tentando-se manter como uma figura nobre – e sendo na verdade, ao mesmo tempo, um tanto patético. 🙂

É meio difícil descrever a leitura de um clássico, criticas, criticas não tenho! Mas receio falar que desgostei das minuciosidades do  livro! Me cansei, por vezes, da ingenuidade do protagonista! Acho que todos nós já ouvimos falar na história do sonhador que é visto como louco. Um homem ingênuo, de bom coração, cheio de ideias, apaixonado por projeções – seja de pessoas, de aventuras, de família . Alguém que vê apenas o lado honesto, romântico das pessoas. Alguém que confia na capacidade do ser humano de ser algo melhor do que as aparências. Alguém doce, simplesmente doce.

Esse livro é isso. 126 capítulos que traduzem uma grande metáfora de todos nós: Da crença ingênua, da decepções da vida, da luta constante por algo que só nós acreditamos, por enlouquecer lendo livros, por se apaixonar por pessoas tão diferentes de nós, pela  amizade sincera que se descobre em momentos difíceis. Um livro que fala da vida, das desventuras de viver.

 

“O que é loucura: ser cavaleiro andante ou segui-lo como escudeiro? De nós dois, quem é o louco verdadeiro? O que acordado, sonha doidamente? O que, mesmo vendado, vê e segue o sonho de uma doida pelas bruxas embruxada? Eis-me, talvez, o único maluco, e me sabendo tal, sem grão de riso, sou, que doidera, um louco de juizo…”
(Dom Quixote de La Mancha)

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “Eu Li [11] -Desafio Literário 2011.03.02

Diz aí:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s