Eu Li [58]

Desafio Machado de Assis

Tanta leitura atrasada, tantas resenhas não feitas. Eu me propus a um projeto e dele mal falo  neste blogue, pode? A leitura vai devagar mais uma hora sai por completo! Esta leitura de agora marca então um parte do:

.

.

.

Helena
Machado de Assis
Ciranda Culltura, 160 páginas

O amor não é mais que um instrumento de escolha; amar é eleger a criatura que há de ser companheira na vida, não é afiançar a perpétua felicidade de duas pessoas, porque essa pode esvair-se ou corromper-se. [página 90]

Que Machado não é obvio todo mundo sabe. Mas quão surpreendente pode ser a leitura em suas linhas (sim! linhas) finais? Em uma leitura leve (de tão leve nem chega a aparecer o grande adjetivador Machado de Assis) com sua doce critica a moral e aos costumes de seu tempo (sempre, sempre!) nas corridas páginas deste romance conhecemos uma família fluminense que sofre nas primeiras linhas uma perda que provoca uma reviravolta nos seus hábitos. O testamento ao ser aberto traz consigo uma herança um tanto diferente junto ao patrimônio já esperado pelos familiares: Conselheiro Vale falece e deixa o reconhecimento póstumo de uma paternidade que injeta a formosa Helena no seio de sua família.
Passado o espanto e tentando cumprir os desejos do pai Estácio ajusta com sua tia Úrsula o acolhimento da irmã em sua casa. Cabe, com o passar do tempo, a encantadora jovem quebrantar os corações da nova família e assumir um papel especial na vida dos entes – que passam a vê-la como querida. Helena trás consigo um ar de alegria para o lar, dá ânimo e conforto a velha senhora e provoca deslumbre em alguns jovens. Contudo o coração gracejoso da protagonista carrega alguns segredos: O Primeiro remete a uma paixão avassaladora e inconfessável que carrega no peito, um  outro ao passado de sua mãe que toda a família desconhece e o último – talvez atado aos demais- misteriosas saídas matinais que despertam as más línguas de um ou outro.
Os segredos de Helene afligem o coração do irmão que começa apresentar um ciúme descontrolado pela menina. Será possível que mesmo noivo Estácio consegue desenvolver um sentimento de paixão por outra mulher? E justo essa mulher seria a única que a vida lhe negaria, por um capricho, perpetuamente? Nesses empasses  a história de Helena é revelada e o autor dá aquela caprichada ao ironizar os costumes sociais e as soluções (talvez não) coerentes para o  sofrimento causado por elas.

Uma delícia de livro!

——
Esta Leitura faz parte também do Projeto Literário:

Esta é a segunda leitura do mês de fevereiro
(ler títulos que sejam Nome Próprio de pessoas)
você pode conferir 
aqui as outras leituras.
E a lista toda deste ano  
aqui

 


.

.

.

Anúncios

2 comentários sobre “Eu Li [58]

  1. Pingback: Sobre Machado de Assis (projeto) « A Garota e Seus Livros

Diz aí:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s