Sobre outros dezembros chuvosos

(*) ou sobre abismos e liberdades

Angústia.
e de todo o amor restam as lágrimas.
é triste ver o fim que não nos diz respeito.
E há o medo e com medo me despeço.
E do emaranhado só restam falsos sorrisos.
E por fim suas lágrimas relocam minhas dores.
De.sas.som.bro.

“Dê-me seu amor
Que dele não preciso…”

http://www.youtube.com/watch?v=wc6oC-WdAyE

Anúncios

Diz aí:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s