Das chuvas

 

Pros braços dele você IA
De satisfação, ele rIA
E ao lhes ver apenas sentIA
O desejo de lhe dar alegrIAs
Tornar-se utopIA.

[daqui]

[ouvindo]

Ela não sabia, não sabia medir os seus atos. Ele tinha satisfação na dor que o coração sentia. Ele olhou a chuva como um manto não cálido. Ele observou a suposta felicidade. Ela chorou pela partida, não porque amava. Ele escolheu a dor como companheira – melhor te-la que apenas vê-la. Ele tornou o coração frio. Ela pediu pra voltar com lágrimas. Ele nunca mais acreditará em lágrimas mas gosta do jogo do desamor. Ele sempre sentirá o murro. Ele queria vê-los alegres mas não conseguiu. Ela só queria sua vida de volta e nunca terá. Ele só queria que suas escolhas parassem de doer e nunca, nunca pararão.

Eu só queria que os versos – de todos e de cada um -fossem menos tristes.

abismos, abismos.
tantos buracos em tão pouco espaço.
tanta dor em tão pouco adeus.
tanto, tanto…

Anúncios

Diz aí:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s