Eu Li [59]

Caim 
José Saramago
Companhia das Letras, 176 páginas

“A história dos homens é a história dos seus desentendimentos com deus,
nem ele nos entende a nós, nem nós o entendemos a ele.”

Saramago é sempre uma experiência incrível de leitura. Alguns livros contudo são um choque, não por serem mal escritos, longos, com histórias improdutivas ou coisas do gênero, esse, por exemplo, foi um choque de ideais. (suspiro) Mas vejamos: eu levei a história até o fim então não foi de todo ruim se encarado como uma boa literatura (apenas), me assustei quando li algumas resenhas que levam a sério de mais a escrita de Saramago colocando nos seus livros única e exclusivamente sob o filtro da sua vida pessoal (Não que eu acredite que  a vida pessoal não tenha influência nas ideologias que o autor coloca na sua escrita, mas não podemos ver os livros apenas por essa óptica, né?)

Continuar lendo

Eu Li [57]

Drácula 
Bram Stoker
L&PM , 550 páginas


É um Clássico! E novamente me vejo perdida ao descrever uma história tão conhecida… Lendo tanta literatura vampiresca nos últimos tempos mal pude me conter de satisfação em ler a história que inspirou todas as outras!
Esperando um livro denso e  assustador encontrei uma história fluida, leve e envolvente apesar de extensa!

 Um jovem londrino, noivo de uma bela e inteligentíssima mulher, é enviado pelo patrão para o Leste Europeu (hoje algo pela Europa Central na verdade) para fechar uma grande e importante  venda de imóvel na Inglaterra. Apesar de conseguir concretizar o negócio estranhos acontecimentos, envolvendo seu cliente, perturbam psicologicamente o rapaz. Já em Londres, fatos assustadoramente inusitados surgem paralelamente a chegada de um assombrado navio a cidade:  A jovem donzela Lucy, por exemplo,  lentamente adoece preocupando, e muito, seu ciclo de fiéis amigos. E outra: tudo leva a crer que o comprador do imóvel londrino chegou a cidade justamente na mesma noite!
Continuar lendo

Eu Li [56]

Chocolate 
Joanne Harris
Rocco, 320 páginas


Uma cidadezinha no interior da França, igualzinha a qualquer outra cidadezinha do interior de qualquer outro país cristão, a Igreja, sua moral e seus bons costumes que ditam as regras sociais e Duas forasteiras, nômades, amantes da culinária e devotas a costumes divergentes ao cristianismo: eis o drama deste livro.
Um Padre com um passado obscuro e com sérios problemas de posicionamento  moral perante seus fiéis tem sua vida alavancada quando os ventos do carnaval trazem Vianne  e sua filha para a pequena cidade onde pastoreia. Vianne inaugura sua casa de doces durante o difícil período religioso da quaresma e consegue uma antipatia gratuita do Padre. Há então um embate de ideias que modifica todo o comportamento da cidadezinha e de seus habitantes. Fugindo do próprio passado e tentando conceder a filha um descanso da vida itinerante que até então levam , Vianne também tem a difícil escolha diária de enfrentar seus próprios medos personificados no Padre.
Continuar lendo

Eu Li [55]

Como água para chocolate 
Laura Esquivel
Martins Fontes, 206 páginas

“Para a mesa e para a cama, uma só vez se chama…”

Uns anos atrás – tempo de escola ainda – eu comecei a ler o livro e achei enjoadinho. Nunca cheguei a terminar. Fiquei com esta impressão e já coloquei o livro no desafio esperando isso: muita boa vontade pra continuar lendo página por página! E veja como o tempo faz bem à literatura: Nem sei  porque cheguei a pensar isso!
O livro é simplesmente… fofo! Com sensibilidade sentimentos são misturados com delicados (e porque não calientes) sabores criando um romance divertido, com momentos surrealistas, e de certo modo agridoce. Há uma história de amor  que beira os conto de fadas com direito a tragédias familiares, sofrimento gratuito e até uma espécie de felizes para sempre. 🙂  Continuar lendo

Eu Li [53]

Julie & Julia 
Julie Powell
Conrad, 312 páginas

É… sei que as artimanhas culinárias são para poucos. Mas apesar de tudo sempre tive um sonho antigo de aprender a cozinhar (não algo espetacular, apenas beirando a decência mesmo)! Depois de ler Julie Powell simplesmente vou engavetar por tempo indeterminado tudo isso! 😛
Sério! Ou a autora é louca ou cozinhar  a deixou assim! Porque eu realmente sei que a ideia do livro é nos fazer ver que ‘tudo fica bem no final’ e que  por mais malucos que sejam nossos projetos leva-los até o final tem lé  suas recompensas, mas eu só consigo ver agora é: que streeesss é tudo isso!

Continuar lendo

Eu Li [52]

Água para Elefantes

Sara Gruen

Arqueiro, 272 páginas

Existe um mundo nos bastidores do espetáculo que vemos.
O circo é tão cativante e encantador que nos trasporta à outra realidade: um mundo de esplêndida fantasia  e paixão capaz de atiçar o lado doce  infantil até do mais inflexível dos seres humanos. Certo? Talvez não… O que existe por trás de toda fantasia dos artistas (e trabalhadores) que movem a grande arena?  Quais os sentimentos sufocados por pinturas e enfeites que o público jamais chegará a ver? Há um submundo que cria e recria o que vemos sobre a tenda.
E esse mundo pode ser assustador.
Este mundo nos anos 30 em um Estados Unidos em crise econômica pode ser potencialmente pior.
Gruem  cria um romance  relatando os bastidores do “Maior Espetáculo da Terra”. O livro é envolvente do começo ao fim e do mesmo modo encantador.

Continuar lendo

Eu Li [51]

Uma História de Perdão e Cura

Stormie Omartian

Mundo Cristão, 236 páginas

Continuar lendo

Eu Li [49]

Gossip Girl : As Delícias da Fofoca – Vol. 1

Cecily Von Ziegesar

Record, 254 páginas

“Êscandalo é a fofoca tornada tediosa pela moralidade.”
Oscar Wilde.

Continuar lendo

Eu Li – Mas Não Vou Resenhar [2]

Porque?
Por que li a muuuuuito tempo.
Queria ter resenhado porque realmente são livros bons (5 estrelas todos eles!) , mas procrastinei e acabei perdendo o time das resenhas.
=/
Uma pena, né?
Como o blogue é uma lembrança e todas as leituras ainda assim vou posta-los aqui:

Continuar lendo