Das Cartas [3]

[escrevendo ouvindo isso]

Caro Astronauta,

Começo as linhas com um frase que me remete a você esses dias,
talvez você entenda porque profere a fé que eu também acredito
talvez você entenda simplesmente porque possui a inteligência dos bons líderes
talvez você só entenda porque de algum modo dá credibilidade a minha fala

“Jovem, eu lhe escrevi, porque você é forte, e você já venceu.”
[liberdade poética daqui]

Olha, eu só queria pedir um favor: Não duvide disso!
Conjugue no pretérito a ação que gerou resultados grandiosos.
Conjugue no presente o verbo correto.

Continuar lendo

Anúncios

Sobre outros dezembros chuvosos

(*) ou sobre abismos e liberdades

Angústia.
e de todo o amor restam as lágrimas.
é triste ver o fim que não nos diz respeito.
E há o medo e com medo me despeço.
E do emaranhado só restam falsos sorrisos.
E por fim suas lágrimas relocam minhas dores.
De.sas.som.bro.

“Dê-me seu amor
Que dele não preciso…”

http://www.youtube.com/watch?v=wc6oC-WdAyE

Sobre Poemas

Dedicatórias.
Memórias.
eu nunca disse.
nunca poderei dizer.
entre o abismo e o céu existe um verso.
E de algum modo envolve amadurecimento.
Obrigada por (não) acreditar e ultrapassar as circunstâncias
e tornar o sentimento um verbo.

-ensaio de noivos- *--*

-Meu ensaio de noivos-
*–*

Continuar lendo

Dos Saltos

“Há pessoas que nos fazem voar. A gente se encontra com elas e leva um bruta susto. Primeiro, porque o vento começa a soprar dentro da gente, e lá, de cantos escondidos de nossas montanhas e florestas internas, aves selvagens começam a bater asas, e a gente não sabia que tais entidades mágicas moravam dentro de nós, e elas nos surpreendem, e nós nos descobrimos mais selvagens, mais bonitos, mais leves, com uma vontade incrível de subir até as alturas, saltando, saltando de penhascos, pendurados numa asa-delta (acho que o nome disso é fé…)”

Na Companhia de Rubem Alves  – Livro de Anotações para Mulheres – pg 227

Continuar lendo

Meme do tempo de agora [3]

Descansos, descansos à parte…
O importante é não deixar perder as tradição!

Então… tem um Meme que fiz a alguns anos, repeti ano passado e vou mantendo pra dá um ar bibliográfico para  as teias de aranha que rondam essas páginas…

Aos 23…

Continuar lendo

Da dádiva da dor (*)

* ou sobre, mais uma vez, a lógica irrestrita do trabalho. Afinal é segunda.

         A dor física é a sensação de incômodo causada pelo estímulo às terminações nervosas sensitivas. Ao aproximar a mão do fogo sentimos a dor causada pela queima da pele. As terminações nervosas sensitivas cutâneas avisam, quase que instantaneamente, ao sistema nervoso central que é preciso afastar a mão para não haver perdas de tecido. É a dor que inicia o processo de autoproteção.

         Uma pessoa, que perdeu a sensibilidade nervosa, pode perder parte do corpo por não sentir dor. Um hanseniano, com a doença em estado avançado, perde quase que completamente a sensibilidade à dor. Aos poucos suas mãos e pés vão deteriorando em consequência de acidentes que poderiam ser evitados se sentissem dor. Muitas perdas acontecem por insensibilidade, se ouvíssemos a dor ao invés de tentar dirimi-la, não teríamos perdido tanto.

        A dor é a dádiva de Deus que impede o esfacelamento do corpo. A dor indica que o corpo, ou parte dele, está correndo risco, deve ser protegido. Quando se sente uma dor causada por um sapato apertado, não parece razoável aplicar uma anestesia no pé, mas trocar o sapato. Como incomoda um sapato apertado, por isso prefiro os tênis, são mais confortáveis, dão mais liberdade aos pés. Sapatos apertam os pés e condiciona a alma.

        A dor, em situações de risco, pode ser a salvação. Uma dor de cabeça pode indicar vários tipos de doenças físicas ou psicológicas. Tomar analgésico por um período prolongado pode ser perigoso, melhor mesmo consultar um médico, como isso é penoso para os homens. Diferentemente das mulheres, os homens se preocupam muito pouco com a saúde, preferem os analgésicos.


Continuar lendo

#MemeDeJaneiro – O meu jeito de salvar um dia ruim

A água quando cai purifica alguma coisa além do físico.
Eu gosto de respirar fundo e tomar um banho restaurador, um longo banho  talvez.
Não muda  o dia ruim, mas muda o espírito para enfrenta-lo, muda as expectativas, muda o humor. Salva as lembranças de todo modo.

O #MemeDeJaneiro apareceu neste blogue durante todo esse mês Confere.
Foi uma ideia do pessoal do LuluzinhaCamp, vale a pena passar por lá e conhecer os participantes.

Das Dores

é segunda.
e há o trabalho.

[nada mais. Nada, mas…]

todo o resto é solidão em um misto de sonho e saudade.

 

 

 

 

 

 

(suspiro)

#MemeDeJaneiro – Quais são seus ídolos e o que eles revelam sobre você?

Nossa! Que pergunta difícil!
Não consigo definir um ídolo.
Talvez isso revele mais sobre mim do que qualquer escolha que eu faça. Mas eu respeito algumas pessoas, admiro o trabalho de alguns indivíduos, tenho um afeto sincero para com as minha lideranças, mas  não idolatro. Não, não… nem gosto desta palavra.

O #MemeDeJaneiro aparece neste blogue durante todo esse mês Confere.
É uma ideia do pessoal do LuluzinhaCamp, vale a pena passar por lá, gente!.
😉